SOB CUSTÓDIA - Estaduais Menores, por favor!

10/03/2013 12:00

 

Fim de semana com rodada cheia pelos estaduais Brasil afora. Botafogo e Vasco fazem o clássico que define o campeão do primeiro turno carioca. Em terras gaúchas, o Inter de Dunga também decide quem leva o caneco contra o São Luiz em Ijuí.

Em São Paulo, Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras, instáveis, entram em campo para cumprir tabela no imensamente pouco emocionante campeonato paulista. Dizem que o charme dos estaduais reside nos clássicos. Mas, depois do jogo horrendo do último fim de semana entre Timão e peixe, ficou claro que os estaduais estão mortos. O jogo-treino realizado no Morumbi domingo passado tende a se repetir amanhã. Tricolor e alviverde vivem maus momentos na Libertadores. Duvido muito que algum time arrisque o prestígio que ainda resta em um clássico que não vale nada. Outro empate sem graça pode estar se desenhando.

Para o Corinthians, mal das pernas, com um time que convence, mas não vence, que mostra volume, mas não faz gol, a saída é testar a paciência do torcedor mandando a equipe reserva para o campo. Jogar com o time completo? Impossível. A viajem da capital paulista até Tijuana não é uma das menos cansativas.  

Os grandes se arrastam nas tabelas dos campeonatos regionais, uns pensando em Libertadores, outros pensando no segundo semestre. Algumas federações mostram alguma lucidez ao diminuírem o número de equipes e de rodadas, mas ainda não é suficiente. Apesar de todos os problemas, acabar com os estaduais seria um pecado terrível com o futebol nacional. Que fazer então?

Para início de conversa, a CBF deveria se manifestar. Os campeonatos estaduais espremem o brasileirão em um semestre e meio, o que resulta em jogadores cansados, estádios vazios e gramados horrorosos. Por que não seguir o modelo europeu e assim trazer o campeonato brasileiro logo para fevereiro? Por que não reduzir os campeonatos estaduais em oito datas, distribuídas ao longo do ano?  16 equipes divididas em quatro grupos. Turno e returno dentro dos grupos. Os primeiros colocados fazem semifinal e final em jogo único e pronto, eis um campeão. Simples, rápido e que permitiria que os times pequenos surpreendessem. O charme voltaria, o desejo de sagrar-se campeão estadual também. O calendário ficaria mais agradável, os estádios mais cheios, os gramados melhores.

Podemos até fazer estádios sublimes, com gramados modernos. Até conseguir educar o torcedor é possível. Acabar com organizadas, trazer astros europeus, fazer um belo trabalho de marketing para cada clube. Mas enquanto não solucionarmos o mais simples dos problemas que nosso futebol enfrenta — o famigerado calendário — nosso futebol ainda será de segundo escalão. Não faremos com que nossos clubes sejam conhecidos lá fora. Dificilmente sairemos às ruas em Milão e veremos alguém com a camisa do Botafogo ou do Flamengo, como aqui no Brasil vemos qualquer cidade repleta de camisas de Milan, Inter, Barcelona e Real Madrid.

A receita não é acabar com os estaduais, mas repaginá-los, para que voltem a ser benéficos para o futebol nacional. O desafio está aí, a solução também. Falta apenas sairmos da inércia eterna em que todas nossas instituições se encontram. Vamos torcer.

 

Palpites para o Fim de Semana:

SPFC 1 X 1 SEP

SCCP 1 X 0 Ituano

Botafogo 2 X 1 Vasco

Inter 3 X 1 São Luiz

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!